TERCEIRA E CONTANDO

  • terça, 29 setembro 2020 00:00
Paulo Sérgio marcou o gol da vitória do CSA sobre o Vitória no Barradão Paulo Sérgio marcou o gol da vitória do CSA sobre o Vitória no Barradão Uendel Galter/Ag A Tarde

CSA vence no Barradão, quebra invencibilidade do Vitória e ganha a terceira consecutiva na Série B

Por Isaac Simões

Nem o mais otimista torcedor do CSA esperava mudar de cenário tão rapidamente na Série B. O Azulão foi até Salvador-BA, nesta terça-feira (29), e desbancou o favoritismo do Vitória, vencendo por 1 a 0 e quebrando a invencibilidade do Leão em casa na Segundona. O gol de Paulo Sérgio, aos 12 minutos do primeiro tempo, confirmou o bom momento marujo, que chegou a terceira vitória consecutiva no Brasileiro e aumentou a confiança do grupo, que há menos de 15 dias amargava a lanterna da competição e se afundava em uma crise que parecia não ter fim. Agora, o CSA não só renova as esperanças para a  temporada, como também assume a 13ª posição, com 13 pontos conquistados e com um jogo a menos na tabela.

Os três pontos só não vieram com mais tranquilidade em solo baiano porque o CSA pecou nas finalizações. O próprio Paulo Sérgio teve duas chances claras de “matar” a partida, mas desperdiçou tanto por baixo, quanto pelo alto. Geovane na etapa final também errou uma cabeçada dentro da área, mas no fim, o Azulão conseguiu o triunfo e agora foca na próxima rodada, quando terá o Sampaio Corrêa pela frente, sábado (3), às 16h30, no Castelão, em São Luís-MA.

Um dia antes, na sexta-feira (2), o Vitória vai até Ponta Grossa-PR, encarar o Operário, às 19h15 no Germano Kruger. O Leão estacionou nos 17 pontos com a derrota em casa e caiu para sétimo lugar no nacional.

Um a zero foi pouco


Além do gol, Paulo Sérgio se destacou pelo auxílio na marcação diante do Vitória - Foto: 
Pietro Carpi/ECV

Quando a bola rolou, o Vitória tentou fazer valer o mando de campo, partiu para cima do CSA e até conseguiu assustar o time azulino nos minutos iniciais. Artilheiro do Leão, Léo Ceará logo buscou o gol aos 5 minutos em chute chapado na entrada da área, mas a bola foi para fora. No lance seguinte, Márcio Araújo tentou cortar cruzamento de Leandro Silva e, por pouco, não jogou a redonda no cantinho esquerdo de Matheus Mendes, que se esticou mas ela saiu pela linha de fundo.

Com uma boa movimentação do trio ofensivo, o Vitória rondava a área maruja e aos 11’ Alisson Farias percebeu a liberdade na frente do gol e arriscou, mas Matheus defendeu. Cauteloso no início de partida, o CSA aproveitou o contra-ataque e no primeiro lance ofensivo, aos 12’, soube ser efetivo. Yago lançou Paulo Sérgio nas costas da zaga, o atacante marujo ganhou na disputa com Ronaldo e, mesmo sem ângulo, deu um toque com categoria para colocar no fundo das redes: CSA 1x0.

O gol deixou o CSA ainda mais tranquilo em campo. Compactado, a equipe do técnico Mozart Santos não dava espaços para o Leão, restando apenas os chutes de longa distância para os baianos. Já o Azulão era perigoso e criou três chances claras de ampliar o marcador, mas o Paulo Sérgio não soube aproveitar e desperdiçou todas.

Aos 23’, Ele trocou figurinhas com Yago e Pedro Jr, recebeu de frente para o gol, mas finalizou muito alto. Seis minutos depois, Pimpão cruzou pela direita e colocou a bola na cabeça do centroavante, que sozinho, mandou para fora. Aos 40’, Paulo Sérgio deu mais uma demonstração de concentração, interceptando o passe de Lucas Cândido e ficando cara a cara com Ronaldo, porém, faltou precisão ao camisa 10 do CSA, que demorou a finalizar, e foi desarmado.

Pimpão e Rafinha por pouco também não deixaram suas marcas na partida. O atacante percebeu Ronaldo adiantado aos 37’ e soltou um canudo de fora da área, mas o goleirão rubro-negro se recuperou e espalmou para escanteio. Rafinha foi para a cobrança, bateu fechadinho, e novamente o camisa 1 do Leão salvou.

Antes do intervalo, o Vitória, em um raro momento de finalização certa, conseguiu estufar as redes do CSA, mas o assistente anulou o lance, pegando impedimento de Ewandro.

Fechadinho


Vitória 0x1 CSA - Foto: Pietro Carpi/ECV

Na etapa final, Bruno Pivetti colocou Fernando Neto na vaga de Lucas Cândido e o Vitória ficou mais ofensivo. Apesar do domínio da bola e a presença no campo ofensivo, o Leão não conseguia passar pela marcação azulina e praticamente não criou chances claras de gol, restando a bola parada de Carleto como principal arma rubro-negra. Em uma delas, aos 4’ minutos, o lateral cobrou falta na área, João Victor testou no canto de Matheus Mendes, mas Luciano Castán cortou em cima da linha.

O CSA teve a chance de matar o jogo aos 10 minutos, em lance parecido com o gol de Paulo Sérgio. Ele próprio puxou contra-ataque, carregou a bola até a ponta esquerda e cruzou na medida para Geovane, como elemento surpresa dentro da área, testar firme, mandando a redonda à direita de Ronaldo, que estático só viu a bola passar raspando a trave e ir para fora.

A resposta foi imediata, aos 13’, quando Alisson Farias recebeu na esquerda, deixou Diego Renan na saudade e ajeitou para Fernando Neto, mas o meia finalizou para fora. Ao longo de todo o segundo tempo, a tônica do jogo foi a mesma: posse de bola para o Vitória, CSA recuado e finalizações baiana de longa distância, sempre sem direção ou parando em Matheus Mendes, sem grandes sustos.

Artilheiro do Leão, Léo Ceará estava muito marcado e na única chance clara que teve, aos 38’, quase empatou o duelo. Ele recebeu cruzamento de Carleto e cabeceou buscando o cantinho esquerdo, mas a bola foi para fora. Terceira vitória consecutiva do CSA na Série B: Azulão 1x0  Vitória.

Ficha Técnica

Vitória 0x1 CSA

Campeonato Brasileiro – Série B – 12ª Rodada
Local: Barradão (Salvador-BA)
Árbitro: Leo Simão Holanda (CBF-CE)
Árbitro Assistente 1: Cleberson do Nascimento Leite (CBF-CE)
Árbitro Assistente 2: Eleutério Felipe Marques Junior (CBF-CE).
4º Árbitro: Bruno Pereira Vasconcelos (CBF-BA)

Cartões Amarelos: Matheus Mendes (CSA)
Gols: Paulo Sérgio (CSA, aos 12’ do 1º tempo)

Equipes:

Vitória: Ronaldo; Leandro Silva (Jonathan Bocão), João Victor (Maurício Ramos), Wallace e Carleto; Lucas Cândido (Fernando Neto), Guilherme Rend (Eduardo) e Marcelinho (Juninho Quixadá); Ewandro, Alisson Farias e Léo Ceará. 
Técnico: Bruno Pivetti.

CSA: Matheus Mendes; Diego Renan, Cléberson, Luciano Castán e Rafinha; Márcio Araújo, Yago (Marquinhos) e Geovane; Rodrigo Pimpão (Allano), Pedro Júnior (Pedro Lucas) e Paulo Sérgio (Andrigo).
Técnico: Mozart Santos

deixe um comentário

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.