QUE TORCIDA É ESSA!

  • sábado, 22 dezembro 2018 00:00
Presença nas arquibancadas: torcida azulina gera quase R$ 5 milhões ao clube em 2018 Presença nas arquibancadas: torcida azulina gera quase R$ 5 milhões ao clube em 2018 Ailton Cruz - Gazeta de Alagoas

Em ano perfeito, torcida azulina oferta arrecadação de R$ 5 milhões ao clube

 

 

O ano 2018 foi fantástico para o CSA. Título alagoano após nove anos na fila e um acesso histórico e inédito para Série A do Campeonato Brasileiro. Se o desempenho do time foi considerado perfeito, a torcida do CSA proporcionou números impressionantes para os cofres do clube.

Somente o torcedor azulino colocou nos cofres do clube algo em torno de R$ 5 milhões de reais. Oficialmente existe uma comprovação dos valores arrecadados em relação a bilheteria. Nas quatro competições que disputou, o torcedor azulino proporcionou ao clube nada mais que R$, 2,5 milhões (precisamente R$ 2.559.520,90). Outros dois valores compõe esta conta: sócio torcedor e a Loja do Azulão.

A assessoria do CSA respondeu uma indagação sobre o sócio torcedor. O balanço de valores arrecadados só serão fechados no mês de fevereiro. Mas a reportagem do site esportealagoano teve acesso a uma informação que o CSA arrecada com o sócio torcedor algo em torno de R$ 200 mil líquidos por mês. Baseado nestes dados, o CSA arrecadaria com o sócio torcedor mais R$ 2,4 milhões. As duas primeiras variáveis de arrecadação garantiram ao clube R$ 4,9 milhões graças ao torcedor.

Restaria contabilizar valores oriundos das vendas de produtos licenciados pelo clube. No entanto, os valores que o CSA arrecada com sua própria loja são guardados a sete chaves e acabam não sendo revelados. Se imaginarmos que o sucesso do CSA na temporada levou a uma grande quantidade de camisas e produtos é bem razoável pensar que o time azulino poderia ter chegado a vendas que gerem pelo menos um valor superior a R$ 100 mil. Se assim for tirando as despesas, o valor líquido é dividido com o clube e o sócio Alberto Maia e seria bem razoável que o CSA pudesse gerar pelo menos R$ 50 mil na sua loja.

Com isso, o CSA fecharia algo estimado nos R$ 5 milhões. O valor é significante quando posto perto de outros valores arrecadados. O patrocinador máster do clube paga R$1,5 milhão por temporada. Para jogar a Série B, por exemplo, o CSA recebeu R$ 6 milhões bruto, com o desconto que gira em torno de 10 a 15%, o valor para Série B ficou entre R$ 5,4 e 5,1 milhões. Valor muito próximo do que a torcida azulina ofertou sozinha ao clube.

O número mostra ser significativo ainda quando comparado ao maior rival azulino: o CRB. Nas quatro competições disputadas, a torcida regatiana gerou R$ 937 mil (valor exato R$ 937.056,55) e com o sócio gerando aproximadamente R$1,2 milhão na temporada (cerca de R$ 100 mil/mês), o Galo se aproximaria dos R$ 2 milhões, ou seja, três milhões a menos que a torcida do CSA viabilizou.

A projeção para 2019 poderá ser bem maior, com o CSA podendo dobrar os valores em função da Série A e do projeto sócio torcedor. Com a limitação da capacidade de público do Estádio Rei Pelé, o baixo número de sócio torcedor (proporcional ao que o CSA fez e o potencial da torcida azulina) fica clara afirmar que o torcedor do CSA foi o maior patrocinador do clube, gerando um valor significativo no orçamento do clube em toda a temporada.

deixe um comentário

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.