UFA!

  • sábado, 12 maio 2018 00:00
Com dificuldades, CSA vence, com Didira mostrando mais um diferencial Com dificuldades, CSA vence, com Didira mostrando mais um diferencial Ailton Cruz - Gazeta de Alagoas

Em jogo complicado, CSA erra muitos passes, faz jogo ruim, mas vence Boa: 1 a 0

 

 

O CSA enfrentou muitas dificuldades na partida contra o Boa Esporte, na tarde deste sábado, no Estádio Rei Pelé. Sem fazer um bom jogo e sem conseguir trocar passes, principal característica da equipe na Série B, o CSA precisou da individualidade do meia Didira para marcar, garantir a vitória sobre o Boa por 1 a 0 e voltar a ocupar uma posição dentro do G4.

Para aqueles que imaginavam facilidade em relação ao Boa, o CSA teve muita dificuldade. O técnico Marcelo Cabo mais uma vez foi enfático sobre a dificuldade da Série B. “ A competição sempre é muito difícil. ‘5 a 1 e 1 a 0 são três pontos. Não foi aquela tarde e noite que estamos buscando. Tivemos o jogo controlado”, disse Marcelo Cabo.

Com a vitória azulina, o time chegou aos 12 pontos e ocupa provisoriamente a segunda colocação, atrás apenas do Fortaleza que venceu o Goiás por 3 a 0 e é o líder da Série B. Neste domingo, o CSA poderá perder mais uma posição e cair para o terceiro lugar, se o Vila Nova pelo menos empatar com a Ponte Preta. Já o Boa segue sem pontuar e permanece na 20ª posição.

Na 6ª rodada, o CSA enfrentará o Londrina, no próximo sábado, 19, ás 16h30, no Estádio do Café. Já o Boa receberá o Coritiba, no Estádio do Melão mas ás 19h

O Jogo

O CSA até começou a partida tentando determinar o ritmo, ter a posse de bola, conseguir o comando da partida. Mas desde o começo, o time azulino seguia errava muitos passes. Diferente de outras situações, onde o CSA rodava a bola, buscava triangulações e baseava seu jogo na troca de posições, o time azulino optava pela individualidade de Niltinho, que começou o jogo levando vantagem sobre o lateral Elivelton.

Logo aos seis minutos, o Boa Esporte encaixou um contra-ataque com muita velocidade. Willian Barbio conseguiu o drible e lançou para Douglas Baggio, que na velocidade, venceu os dois zagueiros azulino e já dentro da área chutou, mas Alexandre Cajuru fez uma grande defesa.

Já no minuto final do tempo regulamentar, troca de bola no ataque do time mineiro e Alysson quase marca, mais uma vez, Cajuru fez uma intervenção evitando o gol do Boa.

Logo no minuto inicial do segundo tempo, o goleiro Fabrício errou na saída de bola, Ferrugem roubou e ofertou uma linda assistência para Didira, que entrou na área, escolheu o canto baixo e bateu firme, rasteiro para abrir o marcador: CSA 1 a 0.

Perdendo o jogo, o Boa saiu para o jogo e o CSA voltou a enfrentar dificuldades defensivas. Aos 17 minutos, após chegada de Daniel Cruz, a bola sobrou na entrada de área para Thalysson, ele finalizou rasteiro, sem muita força, para defesa em dois tempos de Alexandre Cajuru.

Depois dos momentos iniciais, o jogo caiu em qualidade. O CSA não conseguia ser ofensivo, nem ter uma sequência ofensiva com qualidade. Já o Boa conseguia ter toda a primeira bola, mas não conseguia traduzir isso como volume e eficiência na construção ofensiva.

Na reta final com muitos jogadores desgastados, o CSA segurou a pressão, o volume de jogo não se concretizou em grandes oportunidades.

Ficha Técnica

CSA 1 x 0 Boa Esporte

Campeonato Brasileiro – Série B – 5ª Rodada

Local: Estádio Rei Pelé (Maceió-AL)

Árbitro: Rodrigo Carvalhares de Miranda (CBF-RJ)

Árbitro Assistente 1: Silbert Faria Siquim (CBF-RJ)

Árbitro Assistente 2: Wendel de Paiva Gouveia (CBF-RJ)

4º Árbitro: José Ricardo Laranjeira (CBF-AL)

Renda: R$ 183.508,00  Público: 12.773 torcedores (com 11.158 pagantes)

Cartões Amarelos: Elivelton, Alysson,Jhon Cley (Boa Esporte) Didira, Walter (CSA)

Expulsões: Arthur Jesus (Boa Esporte)

Gols: Didira (CSA) 1’ do 2º tempo

Equipes:

CSA: Alexandre Cajuru, Muriel (Celsinho), Leandro Souza, Xandão e Echeverria; Edinho e Ferrugem; Niltinho, Daniel Costa (Walter) e Didira;(Hugo Cabral) Michel Douglas

Técnico: Marcelo Cabo

Boa Esporte:  Fabrício, Elivelton, Gustavo Geladeira, Artur Jesus e Erick; Amaral e Machado; Thalysson(Jhon Cley), Douglas Baggio e Alysson; Willian Barbio (Ygor)

Técnico: Daniel Paulista

deixe um comentário

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.