SELAJ transforma Rei Pelé em local para prática esportiva

  • segunda, 19 junho 2017 00:00
Sede da Federação de Esportes Aquáticos de Alagoas Sede da Federação de Esportes Aquáticos de Alagoas Paulo Chancey Júnior - SELAJ

Federações usam dependências do Rei Pelé para treinamentos até de alto rendimento

 

Texto e Foto: Paulo Chancey Júnior

 

Fazer esporte no Brasil não é fácil, principalmente quando federações, entidades esportivas, órgãos públicos e a iniciativa privada precisam administrar não apenas a atividade esportiva propriamente dita, mas o lado administrativo. Manter uma sede física, oferecer locais de treino não deixaram de ser um desafio para quem vive o esporte no país. Mas quando existem possibilidades e boa vontade, tudo pode mudar de figura.

 

Em momentos de crise, parcerias são fundamentais. A Secretaria de Estado do Esporte, Lazer e Juventude (Selaj), que entre outras funções administra o Estádio Rei Pelé, tem disponibilizado espaços para que entidades esportivas tenham suas bases e dentro das possibilidades, possam realizar também suas atividades fim.

 

De acordo com a Superintendência do Estádio Rei Pelé, 22 salas estão sendo utilizadas por federações e entidades esportivas. Algumas delas, apenas como sede administrativa, mas outras vão além e também trazem seus atletas para realizar treinos na maior praça esportiva de Alagoas.

 

Um grande exemplo é a Federação Alagoana de Atletismo (FAAT), que tem a sua sede, onde diariamente são feitas reuniões, encontros de gestores e muito mais do que isso. Os atletas tem a pista do Rei Pelé e em dias de chuva, utilizam espaços cobertos e também a academia própria da federação.

 

O presidente da FAAT, Mahebal Vasconcelos comenta sobre a funcionalidade do atletismo no Estádio. “Desde que chegamos aqui, as coisas tem caminhado muito bem. Lógico que fazer esporte no Brasil é difícil, mas você contar com um espaço cedido como esse para o nosso dia a dia de trabalho interno, mas também de treinos, é uma grande vitória. A parceria com a Selaj tem sido benéfica para o atletismo alagoano”, disse.

 

Atleta federado, o velocista Josias Lino aponta que o fato de não precisar se deslocar entre a federação e o local de treino, é ponto a favor da modalidade. “Temos poucos locais disponíveis para treino. É um ambiente que apesar de não ser uma pista oficial ou sintética, atende muito bem a nossa necessidade, sem falar de que a gente pode utilizar as rampas e arquibancadas, principalmente no inverno, é muito importante”, comentou.

 

Outra entidade esportiva que tem sua sede no “Trapichão” é a Federação Alagoana de Lutas Associadas (FALLA). O presidente Ivo Neto aponta que a disponibilização de espaços para as federações, mostra um olhar diferente da secretaria, principalmente para o esporte amador.

 

“Esse é um grande diferencial. Uma federação bem estruturada com acomodações de treino ou escritório é fundamental para evolução do esporte. A gestão da secretária Cláudia e toda equipe da SELAJ tem esse olhar diferenciado. Muito de nosso crescimento está acontecendo graças ao apoio da SELAJ. Graças ao trabalho que começamos aqui, ampliamos e iniciamos atividades em áreas de alto risco social, como Vergel, Clima Bom, Benedito Bentes e nos municípios de Arapiraca e Marechal Deodoro. Com esse trabalho conseguimos alcançar cerca de 300 atletas de 07 a 18 anos. Através da luta olímpica, estamos contribuindo para termos uma sociedade melhor e todo esse trabalho só foi possível por que temos hoje uma sede onde treinamos 45 atletas de rendimento, fazemos reuniões para definir estratégias e planejamentos e cursos de atualização para os professores e árbitros”, comentou.

 

Diante das dificuldades encontradas, as entidades veem a iniciativa como diferenciada, mas segundo a secretária de esporte, lazer e juventude, Claudia Petuba, este cenário de parceria entre desportistas e o poder público deve ser permanente.

 

“Estamos trabalhando não apenas para qualificar o Rei Pelé para atingir a excelência no que toca o futebol, mas consolidá-lo no esporte alagoano como um todo. Uma série de espaços estavam ociosos e conseguimos implementar desde o começo da gestão Renan Filho a liberação para que outras modalidades pudessem atuar tanto na sua perspectiva administrativa, quanto na sua atividade finalística”, disse.

 

Além de federações como Atletismo e Lutas Associadas, Handebol, Xadrez, Taekwondo, projetos como “Bombeiro Mirim” e entidades com a Associação dos Cronistas Desportivos de Alagoas (ACDA) também estão instalados na maior praça esportiva do Estado.

 

Além das salas para atividades administrativas e alguns espaços para treinamento, o Rei Pelé ainda oferece estrutura para receber atletas, nos 50 alojamentos com capacidade para até 400 pessoas e auditório para 100 pessoas.

 

 

“Compreendemos que o espaço público deve ser utilizado o máximo possível, com a vinda das Federações para o Estádio mais serviços passaram a ser prestados para os cidadãos, inclusive aulas gratuitas de diversas modalidades. Não podemos ter espaços exclusivos para uma dada modalidade se é possível oportunizar também à outras modalidades, simultaneamente, melhores condições. Precisamos agregar e unir esforços para desenvolver o esporte alagoano”, disse a secretária. 

deixe um comentário

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.