Gleyce Kelly brilha em Recife e conquista bi N/NE no heptatlo

  • sábado, 27 maio 2017 00:00
Com sorriso no rosto, a pilarense Gleyce Kelly exibe com orgulho troféu de bicampeã Com sorriso no rosto, a pilarense Gleyce Kelly exibe com orgulho troféu de bicampeã Ailton Cruz - Gazeta de Alagoas

Virada aconteceu nas últimas provas disputadas: briga era com pernambucana e piauiense

 

 

A alagoana Gleyce Kelly,18, brilhou no último final de semana na pista do Centro Interescolar de EF Santos Dumont, em Recife(PE), durante a disputa do Troféu norte/Nordeste de Atletismo.

Defendendo o status de campeã Norte Nordeste no heptatlo, combinação de sete provas diferentes, Gleyce Kelly repetiu a dose e garantiu o bicampeonato com uma virada sensacional.

Até a última prova da disputa, os 800m rasos, Gleyce estava atrás de Ingrid Cruz (PE) e de Enedina Kitia (PI). Mas com uma vitória sensacional nos 800m, Gleyce tirou a difrença e ainda colocou mais de 217 pontos sobre as adversárias. Nos 800m, Gleyce fez 2:23:45. Ingrid fez 2: 38:13, enquanto Enedina 2:47:45.

Na disputa entre as provas, Gleyce venceu três, Ingrid também ganhou três provas e Enedina venceu uma. A diferença pró-Kleyce é que ela venceu as duas das três provas que mais pontuam no geral: 200m e o salto em distância.

Além disto, ela foi terceira colocada em outras quatro provas: 110m com barreira, salto em altura, arremesso de peso e lançamento de dardo.

O experiente técnico Mahebal Vasconcelos ressaltou a virada na totalização dos pontos, as vitórias estratégicas e a melhora das marcas.

"Foi um excelente desempenho da Gleyce. Na competição ela fez em seis provas as melhores marcas da sua vida, apenas no lançamento do dardo, que o seu resultado foi inferior. Além disto vencer provas estratégicas para o somatório geral também foi importante", declarou o técnico Mahebal Vasconcelos.

Na avaliação de Gleyce Kelly, o resultado obtido tem uma explicação bem lógica. "O segredo foi melhorar todos os meus resultados pessoais. Minha melhor prova é os 200m pois venho desta prova, mas melhorei bastante nos 800m. O meu técnico - Mahebal - disse que eu tinha condições de passar - marca da primeira volta, quando o atleta faz os 400m - com 1:07 e consegui fazer.

O resultado no Norte/Nordeste credenciou a alagoana para o Troféu Brasil, a mais importante competição do atletismo no país. Mas técnico e atleta tem estratégias diferentes. Gleyce já reiniciou os treinamentos visando o Campeonato Brasileiro Sub23 e os Jogos Universitários Brasileiros (JUB'S). 

A estratégia de 'recusar' o Troféu Brasil coloca Gleyce na mira de uma competição ainda mais importante: o Sul-americano Sub23. Aos 18 anos, a atleta vinda do Pilar ainda terá diversas oportunidades para disputar o Troféu Brasil. Ela também assegurou participação nos ranking Sub20, Sub23 e adulto em três provas.

 

LEIA TAMBÉM:

Monstro! Sem treinar, Marcos Santos é prata no salto em distância no N/NE

Mais jovem da delegação, Iolnada Manuelly ganha 'peso' após NE

Josias Lino supera contusão e Bárbara Gomes melhores tempos

deixe um comentário

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.