NO SUFOCO!

  • terça, 04 agosto 2020 00:00
Felipe Menezes comemora classificação regatiana para a nona final consecutiva do Campeonato Alagoano Felipe Menezes comemora classificação regatiana para a nona final consecutiva do Campeonato Alagoano Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas

CRB vence ASA nos pênaltis e carimba vaga para 9ª final consecutiva do Alagoano

 

Por Isaac Simões

Foi difícil, mas o CRB está na decisão do Campeonato Alagoano pelo nono ano consecutivo. O Galo carimbou a vaga, após bater o ASA por 3 a 1 nos pênaltis, nesta segunda-feira (3), no Rei Pelé. No tempo normal, a partida terminou empatada sem gols. O goleiro Victor Souza foi o destaque do time regatiano, defendendo duas cobranças alvinegras. Felipe Menezes foi o encarregado da cobrança que sacramentou a classificação alvirrubra para a finalíssima.

Na decisão o CRB irá repetir a final das quatro últimas temporadas, encarando o rival CSA na luta pelo troféu de 2020. Em 2016 e 2017, o título ficou com o Regatas, enquanto 2018 e 2019, a taça foi para o Mutange.

A decisão do Campeonato Alagoano está marcada para a próxima quarta-feira (5), no mesmo Trapichão, às 21h. De acordo com o regulamento, nenhuma das equipes possui vantagem e, caso a partida termine empatada, o título será decidido nas cobranças de pênaltis. Por chegar à final, o CRB também garantiu vaga na Copa do Brasil de 2021.

Por sua vez, o ASA, também entra em campo no mesmo dia para medir forças com o Murici, às 16h, na luta pelo terceiro lugar do Estadual e a última vaga de Alagoas na Copa do Brasil da temporada seguinte.

Espalma, Deola!

Quando a bola rolou as estratégias das duas equipes eram claras: enquanto o CRB rodava a bola, buscava triangulações e a individualidade de Erik pelo lado esquerdo, o ASA buscava fechar o meio-campo e a entrada da área, dando as laterais para o time regatiano.

A marcação alvinegra funcionou por alguns minutos e, como não entrava por baixo, restava ao Galo as jogadas aéreas. Aos 5 minutos, Magno Cruz cobrou córner e Léo Gamalho testou à esquerda do gol de Deola.

Com Lucas Mendes sem tanto apoio na direita, o Regatas apostou pelo lado oposto e, por lá, criou as melhores chances. Aos 21 minutos, Erik recebeu na ponta esquerda, deixou Wander na saudade e ajeitou para o meio da área. Diego Torres finalizou de primeira, mas Deola espalmou com os pés.

Seguindo os gritos do técnico Léo Goiano à beira do gramado, o ASA saiu mais para o jogo a partir da parada técnica aos 25 minutos, e passou a atuar mais no campo alvirrubro. Mesmo sem criar grandes momentos, o Fantasma teve dois lances interessantes na etapa inicial. No primeiro, aos 33’, boa trama na entrada da área, a bola chegou até Jakinha no lado esquerdo, ele soltou um canudo, mas a redonda passou à esquerda de Victor Souza.

Na sequência, em raro momento de liberdade, Natan apareceu nas costas de Claudinei, ajeitou o corpo, mas na hora da finalização na intermediária, o chute saiu torto, e foi para fora.

Já nos últimos minutos, o nome do jogo na primeira etapa voltou a aparecer. Erik cruzou no segundo pau, a zaga alvinegra não cortou e Magno Cruz emendou, de canhota, mas Deola, bem posicionado, defendeu com a ponta dos dedos, operando uma grande defesa. Na sequência, Após cobrança de escanteio, Ewerton Páscoa desviou de cabeça, mas a bola passou raspando a trave e foi para fora.

Goleiros brilham e vaga nos pênaltis

Na etapa final, o jogo virou literalmente ataque contra defesa. Se nos primeiros 45 minutos, o ASA ainda esboçava pisar no campo ofensivo, a história agora era outra.

Aos cinco minutos, o jogo foi paralisado devido a uma queda de energia. Seis minutos depois, a bola voltou a rolar e não demorou para o Galo chegar. Erik lançou Diego Torres, livre dentro da área, ele dominou, mas finalizou para fora, de frente para o gol. No lance seguinte, o torcedor regatiano agradeceu por não estar no estádio: Magno Cruz recebeu de Léo Gamalho, ficou cara a cara com Deola, mas quando tentou tirar do goleiro alvinegro, jogou a redonda nas arquibancadas, isolando feio.

O CRB era só pressão e, mais uma vez, o gol insistiu em não sair. Desta vez, aos 26’, Erik apareceu completamente livre na intermediária, bateu bonito, de chapa, mas a bola explodiu no travessão de Deola. E por falar no camisa 1 alvinegro, ele faria mais um milagre da noite aos 41 minutos, quando Igor pegou sobra dentro da área e bateu forte de canhota, obrigando o experiente goleiro a espalmar para escanteio. Antes, aos 36’, Victor Souza já havia trabalhado, voando para defender a cobrança de falta de Sapé, que tinha endereço certo.

Marcelo Cabo mexeu, colocou João Carlos, Luidy, Felipe Menezes e Thiaguinho na tentativa de deixar o CRB mais ofensivo. O ASA ainda teve o lateral-esquerdo Jakinha expulso, mas o placar não se alterou. Com o empate sem gols a decisão foi nos pênaltis.

Na marca da cal, o que se viu foi uma grande falta de pontaria dos jogadores de ambas equipes, mas vale destacar o goleiro regatiano Victor Souza, que pegou as cobranças de Allyson e Martony. Eberson mandou na trave, e somente Leandro Cearense marcou para o ASA. Pelo lado do CRB, Erik parou em Deola e Gum chutou para fora. Léo Gamalho e João Carlos marcaram, mas coube a Felipe Menezes sacramentar a 9ª classificação seguida do Galo para a decisão do Estadual: Fim de papo no Rei Pelé: CRB 0(3)x(1)0ASA.

CRB: Victor Souza; Lucas Mendes (João Carlos), Gum, Ewerton Páscoa e Igor Cariús; Claudinei, Jatobá (Thiaguinho) e Diego Torres (Felipe Menezes); Magno Cruz (Luidy), Erik e Léo Gamalho

Técnico: Marcelo Cabo

ASA: Deola; Wander, Charles, Martony e Jakinha; Moreilândia, Natan (Lucas Cunha) e Eberson; Sapé. Maranhão (Gabriel “Thawan” ‘Allysson’) e Leandro Cearense.

Técnico: Léo Goiano

Arbitragem

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (FIFA-GO)

Assistente 1: Bruno Raphael Pires (FIFA-GO)

Assistente 2: Fabrício Vilarinho da Silva (FIFA-GO)

4ª Árbitra: Deborah Cecília Correia (FIFA-PE)

deixe um comentário

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.