Imprimir a página

CRISTALINO

Marcelo Cabo concedeu entrevista ao programa Bom Dia ESPN Marcelo Cabo concedeu entrevista ao programa Bom Dia ESPN Reprodução-ESPN

Em entrevista a ESPN, Marcelo Cabo determina meta ‘pés no chão’: vamos lutar pela permanência

 

O técnico do CSA, Marcelo Cabo, foi entrevistado na manhã desta quarta-feira, pelo programa Bom Dia ESPN. Participando da programação em rede nacional, Marcelo Cabo falou sobre o momento do CSA e sobre as pretensões em 2019 jogando na elite do futebol brasileiro.

“Nosso objetivo é permanecer na Série A em 2020” resumiu o treinador azulino. Cabo foi enfático ao mostrar a desigualdade com outras equipes e lembrou que quando chegou ao clube – em fevereiro do ano passado – era chegar a Série A dentro de um prazo de cinco anos.

Na fala do treinador, o entusiasmo vem por parte da torcida graças ao crescimento vertiginoso que o time apresentou nos último anos.

No entanto, a fala mais otimista partiu do próprio presidente do clube, Rafael Tenório, que chegou a falar em Sul-Americana e até mesmo em Libertadores.

Cabo explanou aos jornalistas e aos telespectadores que a condição de investimento ainda é limitada, citou o novo momento do país que traz o risco do clube perder seu patrocinador máster, explicou a mudança de característica da equipe e falou dos parcos recursos existentes no primeiro quadrimestre. “Não recebemos nenhum recurso da Federação (Alagoana de Futebol), nem da TV para disputa do Alagoano, então, temos como fonte de renda neste período a Copa do Brasil e a Copa do Nordeste. Nosso sócio torcedor ajuda bastante. Sei que o presidente Rafael Tenório e o presidente do Conselho Deliberativo, Raimundo Tavares, estão trabalhando alternativas, caso não tenhamos o patrocínio da Caixa”, disse o treinador.

Ainda segundo o técnico azulino, o CSA mudou o perfil e as características para 2019. “Identificamos a necessidade de baixarmos a média de idade do grupo e termos mais velocidade, mas intensidade. Temos uma base e trouxemos alguns jogadores que farão nossa espinha dorsal. João Carlos, que estava no CRB, Régis que atuará em uma segunda linha ou como extremo, Matheus Sávio, que era do Flamengo e Patrick Fabiano que jogou comigo no Kwaitt”, disse o treinador.

Cabo foi elogiado pelos debatedores do programa e finalizou falando da responsabilidade e da alegria em comandar o clube após 31 anos de ausência da Série A.