A vítima da vez é o CRB

  • quinta, 03 março 2022 00:00

Serão cinco jogos em um espaço de doze dias. Neste período, o CRB fará duas viagens, uma para o Rio de Janeiro e outra para Alagoinhas, no interior de Bahia. Sem contar que a partir da próxima terça-feira, o 'bicho vai pegar', pois o time regatiano enfrenta o ASA na terça-feira em Maceió, o Atlético em Alagoinhas na quinta e o CSE no sábado.

A sequencia insana tem no calendário, o grande culpado. Na verdade, o calendário é o grande câncer do futebol brasileiro. Ele expõe o clube, as comissões técnicas e os jogadores a situações inaceitáveis. Começamos uma temporada com doze a quinze dias de treinamento e a partir deste ponto são jogos duas vezes por semana, em alguns casos com viagens entre um jogo e outro, técnicos não conseguem treinar, jogadores não estão em condições físicas ideais e acabam sendo cobrados que apresentem um desempenho em alto nível desde o primeiro jogo em que entram em campo. O CRB ainda teve mais dois fatores - que não são comuns a todos- que dificultam ainda mais o começo da temporada: um surto de COVID que atingiu o elenco e a troca precoce de um técnico em meio a todos estes fatores expostos acima.

O novo técnico pega a continuidade do pacote e segue sem tempo para treinar, tendo que reprogramar o uso de um time reserva e que sem o desempenho esperado pressiona ainda mais um trabalho que ainda é imberbe. 

Mas os clubes, os técnicos, os jogadores ainda não tem força para reagir a este descalabro de coisas pois dependem de cotas, de compromissos comerciais e do sistema que a medida que ele precisa participar, é o mesmo sistema que o faz entrar em crise, que lhe leva a ter jogadores machucados, que lhe faz perder dinheiro e ser eliminado de competições. Isso fica evidenciado no posicionamento do próprio que 'aceitou' em função que a CBF aceitou adiar o jogo contra o Atlético-BA.

O momento que o CRB vai enfrentar está muito pautado pelo adiamento do jogo contra o Atlético-BA. Ah se o CRB imaginasse que enfrentaria isso, talvez optasse por sacrificar aquele jogo e não correr o risco de sacrificar uma, duas ou as três competições que está disputando paralelamente.

O calendário que faz tantas vítimas ao longo da temporada causará desconforto ao CRB neste momento, fato este que é prejudicial em momentos da Copa do Brasil, da Copa do Nordeste e do Campeonato Alagoano, que são decisivos e que podem definir o sucesso ou um fracasso na temporada.

Infelizmente neste cenário, a grande vítima é o CRB.

 

 

deixe um comentário

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.